Simuladores de subsídio de desemprego

Não são conhecidos casos em Portugal de uma época em que houvesse tantas pessoas desempregadas e á procura de trabalho como nos últimos anos.

A recessão económica que assolou o país, levou a que centenas de empresas fechassem portas, deixando milhares de pessoas numa situação bastante complicada.

Se está em risco de ficar desempregado, saiba que pode desde já utilizar um dos simuladores de subsídio de desemprego que lhe permite calcular o valor que irá receber associado a este subsídio.

Desta forma, e para facilitar a sua pesquisa nesse sentido, o Crédito Urgente X resolveu partilhar consigo os melhores simuladores de subsídio de desemprego.

1 – Principais simuladores de subsídio de desemprego

Vamos apresentar-lhe os 2 melhores simuladores de subsídio de desemprego para que possa fazer a sua simulação de forma bastante simplificada. Para obter um resultado precisa apenas de responder a algumas questões simples.

Contas Connosco

O Contas Connosco é uma plataforma bastante conhecida que o ajuda a equilibrar a sua saúde financeira, e o seu simulador de subsídio de desemprego é bastante simples e intuitivo de ser utilizado. Basta responder a 8 perguntas de sim ou não e fica logo a saber qual o montante aproximado que irá receber (nos primeiros 6 meses e no período remanescente).

Saldo Positivo

O Saldo Positivo, uma ferramenta da Caixa Geral de Depósitos, disponibiliza a todas as pessoas um simulador offline (ou seja, em excel) de fácil preenchimento que lhe permite através de 4 questões simples saber se tem ou não direito ao subsídio de desemprego e qual o montante aproximado que irá auferir mensalmente.

2 – Como funciona o subsídio de desemprego

Já sabemos que os simuladores de subsídio de desemprego lhe vão permitir saber qual o valor que vai auferir caso tenha direito ao mesmo. Mas sabe ao certo como funciona o subsídio de desemprego?

O subsídio de desemprego é um valor mensal que é atribuído a pessoas que estejam desempregadas e que cumpram determinados requisitos, sendo os mesmos os seguintes:

  • Estar em situação de desemprego involuntário (ou seja, no caso de ter sido o trabalhador a despedir-se não terá direito ao mesmo);
  • Ser residente em território nacional;
  • Ter capacidade e disponibilidade para trabalhar;
  • Encontrar-se inscrito no centro de emprego da sua área de residência;
  • Estar ativamente á procura de trabalho;
  • Ter o prazo de garantia exigido: 360 dias de trabalho por conta de outrem com registo de remunerações nos 24 meses anteriores à data do desemprego.

Uma vez que nem todos os contribuintes têm direito ao mesmo tempo de receção deste subsídio, pode ver na tabela seguinte quais os dias a que tem direito.

Idade do BeneficiárioNº de meses de registo de remuneraçõesNº de dias de subsídioAcréscimo
Menos de 30 anosInferior a 1515030 dias por cada 5 anos com registo de remunerações nos últimos 20 anos
Igual ou superior a 15 e inferior a 24210
Igual ou superior a 24330
De 30  a 39 anosInferior a 1518030 dias por cada 5 anos com registo de remunerações nos últimos 20 anos
Igual ou superior a 15 e inferior a 24330
Igual ou superior a 24420
De 40 a 49 anosInferior a 1521045 dias por cada 5 anos com registo de remunerações nos últimos 20 anos
Igual ou superior a 15 e inferior a 24360
Igual ou superior a 24540
50 ou mais anosInferior a 1527060 dias por cada 5 anos com registo de remunerações nos últimos 20 anos
Igual ou superior a 15 e inferior a 24480
Igual ou superior a 24540

Salientamos desde já que o limite mínimo que poderá auferir é de 419,22 EUR (100% do IAS) e o valor máximo é de 1.048,05 EUR (2,5 x IAS), assim sendo, ao utilizar os simuladores de subsídio de desemprego poderá saber qual o valor que irá receber (aproximado).

Agora que já sabe como funciona o subsídio e os respetivos simuladores de subsídio de desemprego, caso esteja á beira de ma situação complicada, não hesite em utilizar os mesmos, mais que não seja para ter uma noção do que poderá receber.

Entidades de confiança

Montante123
Prazo:123
Mostrar mais resultados

Deixe um comentário